Em pleno século XXI, o nível de atividade física no perídodo gestacional ainda deixa bastante a desejar. Alguns estudos, como o feito na cidade de São Paulo mostram que 43% das mulheres não atendem as recomendações de atividades físicas propostas pelo ACSM (Colégio Americano de Medicina Esportiva). Algum tempo atrás a prática de exercício físico durante a gravidez não era aconselhada. Devido a cobrança que era imposta sobre diminuir o ritmo físico durante a gravidez, levou ao receio da prática de exercício. Dessa forma a idéia do sendetarismo no feminismo era ainda mais reforçada naquela época.

 

 

Separamos alguns benefícios:

  • Prevenção e redução de lombalgias;
  • Auxilio no controle da pressão arterial e do colesterol alto;
  • Diminuição de edema;
  • Prevenção ao diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia;
  • Melhora dos aspectos psicológicos (auto-imagem, ansiedade, bem-estar e humor);

 

Durante a gravidez as mulheres podem e devem exercícios físicos. Os exercícios físicos leves e moderados, não iram prejudicar o feto, ao invés disso, ajudará o feto a ganhar mais peso. Entretanto, exercícios físicos intensos e com uma grande frequência pode acarretar em fetos com perda de peso. Porém todo exercício físico feito no período de gravidez deve haver um acompanhamento de um profissional.

 

Conclusão: 
No período da gestação principalmente, a saúde passa a ser fundamental. Por isso é necessário o acompanhamento médicopara saber sobre a saúde da gestante do feto. Procurar informação, sobre a prática do exercício físico, conversar com um profissional de saúde, para saber quais os exercícios  são fundamentais para a saúde do bebê.
Mas não deixe que esse mito continue influenciando mulheres a não praticarem atividades físicas.